Ilustrador e pintor de Madrid, graduado em Belas Artes na Universidade de Sevilha, em 98. Desde então, ele trabalhou em estúdios de design e diferentes agências de publicidade, na Andaluzia. Em 2004 muda-se para Madrid. Em junho de 2007 ele começa a mostrar sua carteira, depois de ter sido selecionado entre os 20 novos talentos da ilustração, pela base revista Computer Arts de Londres, ele começa sua carreira como ilustrador.

Atualmente, ele já trabalhou com praticamente todas as grandes agências nacionais, e está começando com seus primeiros projetos e expansão internacional. Ele já trabalhou com inúmeras publicações nacionais e internacionais, em agosto passado pela capa da edição norte-americano Los Angeles Times Magazine.
De fato, os trabalhos são lindos e cheios de expressão.

Portfólio do artista http://www.gabrielmoreno.com/

Anúncios

Fischl por April Gornik

Fischl por April Gornik

Fischl sublimina a ambiguidade política e social nas suas pinturas, por meio da vida quotidiana da pessoas que retrata.

Eric Fishl nasceu em Nova York, no ano de 1948 e cresceu nos subúrbios de Long Island (A maior ilha na parte continental dos Estados Unidos. É a 17ª ilha mais populosa do mundo). Diante um cenário de alcoolismo, Fischl ficou entre aquilo que foi experimentado e o que não poderia ser dito. Até o final dos anos 70’s, arte suburbana não era considerado um legítimo gênero de arte. Com seu primeiro show em Nova York o Edward Thorp Gallery, assuntos como “psico-sexualidade e dramas suburbanos” se toranaram assuntos para perturbar o suas imagens de vida familiar.

Corrida In Ronda No. 4, 2008.

Corrida In Ronda No. 4, 2008.


The Travel Of Romance

The Travel Of Romance


Joan And John, 2002.

Joan And John, 2002.


BAD BOY, 1981.

BAD BOY, 1981.


April In Paris, 1998.

April In Paris, 1998.


The Offspring Of A Murderous Love, 1996.

The Offspring Of A Murderous Love, 1996.


The Bed, The Chair, Dancing, Watching, 2000.

The Bed, The Chair, Dancing, Watching, 2000.

Fischl começou a estudar arte em Phoenix, Arizona onde seus pais haviam se mudado em 1967. Em primeiro lugar em Phoenix Junior College e, em seguida, um ano na Arizona State University e, finalmente, obter o seu BFA em 1972 na Califórnia recentemente abriu Instituto das Artes, em Valência, Califórnia. Após a formatura, mudou-se para Chicago, onde trabalhava como guarda no Museu de Arte Contemporânea. Foi em Chicago Fischl que foi exposto à não-arte do mainstream Quem Cabeludas. “O underbelly, carnie mundo do Ed Paschke hilariante sexual e as vulgaridades de Jim Nutt experiências foram revelador para mim.”, Afirmou Fischl. Em 1974, ele conseguiu um emprego em Nova Scotia College of Art and Design. É lá que ele conheceu sua esposa, a pintora, Gornik.

http://www.ericfischl.com

Fontes de pesquisa
wikpedia

Nobuyoshi Araki

Nobuyoshi Araki

Nobuyoshi Araki é um fotógrafo japonês, contemporâneo de Tóquio. Suas fotografias são sádicas e se distingui entre nús femininos e a cidade de Tóquio.

Estudou fotografia durante anos e passou a trabalhar na Dentsu (agência de publicidade japonesa), onde ele sua esposa Yoko ( Mas se tornou internacionalmente conhecido por suas fotografias de mulheres amarradas (Kinbaku) e flores sensuais, que lembram os orgãos genitais femininos) Depois que Araki e Yoko foram casados, ele publicou um livro de fotografias de sua esposa durante a lua-de-mel intitulado Sentimental Journey. Ela morreu de câncer e fotos tiradas durante os últimos dias de vida, foram publicadas em um livro intitulado Winter Journey.

Araki é provavelmente mais conhecido por suas fotografias que documentam a prostituição japonesa, focando a Kabukicho distrito boemio de Shinjuku, em Tóquio. Estes foram posteriormente publicados em Tokyo Lucky Hole.

nobuyoshi-araki

ef8cdef508e2ae7457f122a738606887.large
http://www.arakinobuyoshi.com/main.html

Links interessante:
http://www.studium.iar.unicamp.br/10/1.html?studium10=index.html

1375426_4Para quem gosta de Mario Sergio Cortella (filósofo brasileiro, mestre e doutor em Educação)

Adoro a parte de que as pessoas estão vivendo amizades instantâneas, namoros instantâneos, sexo instantâneo…enfim…a parte do miojo é uma das minhas preferidas.

Resenha:”Não nascemos prontos!’, de Mario Sergio Cortella, apresenta crônicas que discutem temas diversos à luz da filosofia. A grande qualidade do livro é a união entre a filosofia e o cotidiano. O autor faz esta relação nos ensaios que tratam de temas como acomodação, flexibilidade para as mudanças, a pressa característica do mundo atual, aceleração do cotidiano, falta de esperança das novas gerações e o sentido da amizade. Esta obra leva o leitor a refletir sobre temas como responsabilidade ética e social, gestão corporativa para empresas, gestão do conhecimento, do ser humano e do ócio recreativo.”fonte livraria cultura

Jorane

Jorane

Eu como cellista (aprendiz, com muito gosto) venho aqui fazer minha contribuição para com esse instrumento que amo tanto e partilhar com vocês alguns instrumentistas que estudo e escuto. (o que farei com certa frequência…)

Existem diversas cellistas que admiro, mas tem uma em especial, Jorane (Johanne Pelletier, 1975) uma cantora franco-canadense / violoncelista, com um estilo musical tipicamente clássico e alternativo, bem como sua habilidade para cantar tocar violoncelo, ao mesmo tempo, sem contar seu exoticíssimo e afinação.

Áh, escutem um cd dela com a Orquestra Sinfônica de Quebéc, o cd se chama “Jorane – 2003 – Live au Festival d’été de Québec avec l’OSQ” é maravilhoso. 🙂

Como diz um conhecido “Com uma voz dessa, quem precisa de palavras?”
Segue o site que também é ótimo: http://www.jorane.com

Lucia 1933

Lucia 1933

Figura Vodu 1988

Figura Vodu 1988

“Adoro essa coisa de forte que ele passa, a expressão e o movimento, principalmente o afro”
Mario Cravo Neto, nascido em Salvador, BA, em 1947.
Recebe as primeiras orientações no campo do desenho e da escultura de seu pai, Mario Cravo Júnior (1923). Pelo programa “Artists on Residence”, patrocinado pela Ford Foundation, viaja para Berlim, em 1964 lá mantém contato com o artista italiano Emilio Vedova (1919 – 2006) e com o fotógrafo Max Jakob. Em 1968, muda-se para Nova York e estuda na Arts Students League, com orientação de Jack Krueger, um dos precursores da arte conceitual na cidade. Nesse período, realiza a série de fotografias em cores “On the Subway” e produz suas primeiras esculturas de acrílico. Retorna ao Brasil em 1970. Dedica-se então à fotografia de estúdio, cria instalações e realiza trabalho fotográfico com temática relacionada ao candomblé e à religiosidade católica. Publica, entre outros, os livros “Ex-Votos“, 1986, “Salvador“, 1999, “Laróyè“, 2000, “Na Terra sob Meus Pés”, 2003, e “O Tigre do Dahomey – A Serpente de Whydah”, 2004.

http://www.cravoneto.com.br/

Arm-Me-Of-Me (1)

Nada possessivo Brian M Viveros é diretor, produtor e editor.
Suas ilustrações são de cunho eróticas e masoquistas só de mulheres.
Lindas!

MySpace
http://www.myspace.com/brianmviveros
Site oficial:
http://www.brianmviveros.com/

Untitled-1

Anima Mundi 2009 começa nesta sexta no Rio com 401 filmes de 40 países na sua 17º edição, em seguida, o Anima Mundi desembarca em São Paulo, de 22 a 26 de julho.

Confira a lista de todos os participantes assim como a programação completa no site do festival http://www.animamundi.com.br/fest_home.asp

Incomodados com a crise que atinge o Senado, vários parlamentares atenderam de pronto ao apelo feito pelo presidente José Sarney (PMDB-AP) para que apresentassem sugestões para resgatar a imagem da instituição. O presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), que espera uma reforma profunda na estrutura administrativa. O líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), cobrou a anulação imediata de todos os atos administrativos. Acuado, Sarney se defendeu, mas não anulou os atos secretos usados para nomear parentes e aumentar salários, nem afastou o atual diretor-geral, Alexandre Gazineo. Ainda teve a petulância de dizer enfaticamente: “A crise não é minha, é do Senado”. Oremos.
charge